Adicionar aos Favoritos!
Home

Aviário Nossa Senhora da Glória
Dicas

Doenças das Aves

Aves bem alimentadas e com um manejo correto são mais resistentes às doenças e a melhor prevenção é feita através de vacinas, embora para algumas doenças das aves não existam vacinas, ou apesar de existirem, tornam-se inviáveis  para o pequeno produtor, pois só são vendidas pelos fabricantes em grande quantidade e após serem abertas não podem ser guardadas e reaproveitadas ( como por exemplo a vacina contra a doença de Marek que só é vendida em embalagens de 500 a 1000 doses, e por ser seco- liofilizada e mantida a 100°c em bujões de nitrogênio líquido ).

São várias as doenças que atacam as aves, a maioria são doenças respiratórias.

Aspergilose

É uma infecção que ataca as aves, sendo provocada por fungos. Causa alterações no aparelho respiratório ( ronqueira ), perda de apetite, enrijecimento das articulações e paralisia, diarréia, apatia, queda na produção. Confunde-se com a coriza e a bronquite infecciosa. Não há vacina, o tratamento é feito com antibióticos e pulverização periódica dos viveiros com fungicidas. A ingestão de alimentos mofados induz a formação de focos.

Bouba Aviária

Também conhecida como varíola Aviária, é causada por vírus, formando nódulos escuros na pele em volta dos olhos, bico, crista e barbelas. As aves apresentam dispnéia  e cabeça arroxeada. Quando as aves aparecem doentes devem ser isoladas. Quando os nódulos são retirados a pele sangra e deve-se aplicar iodo glicerinado e as aves devem ser tratadas  com antibióticos. A vacina é indispensável para evitar a doença, deve ser aplicada nas aves de 1 a 5 dias de idade, na membrana da asa ou na coxa após a retirada das penas.

Bronquite Infecciosa

É uma doença respiratória causada por vírus, altamente contagiosa. As aves apresentam tosse, espirros e dispnéia, as lesões acontecem principalmente nos pulmões e as aves apresentam catarro. A produção cai e o apetite diminui, as aves ficam prostradas. O uso de antibióticos combate a infecção, boa alimentação, água de boa qualidade e instalações desinfetadas são indispensáveis. A vacinação é feita entre 6 e 16 semanas de idade.

Coccidiose

Provoca a queda na produção e o atraso no crescimento. Doença parasitária do trato intestinal é transmitida através de fezes, camas úmidas e água suja. O calor e a umidade favorecem o aparecimento da doença. As aves tornam-se apáticas, perdem o apetite, palidez, as fezes apresentam-se aquosas e/ou em forma de muco viscoso sanguinolento, pois a doença  provoca severa inflamação da mucosa intestinal. A desinfecção das instalações é o melhor meio de prevenção, devendo ser observadas as práticas de manejo, uso de cama limpa, limpeza e desinfecção de comedouros e bebedouros e boa alimentação.

Cólera

Também conhecida como Pasteurelose  Aviária, é um germe, apresenta
sintomas de febre e sede intensa, respiração ofegante, sonolência e diarréia, havendo também a eliminação de secreção com mau cheiro pelas fossas nasais, perda de peso, articulações inchadas e enrijecida, catarro na garganta, apatia. Algumas vezes apresentam inchaço junto aos olhos e cianose de cristas e barbelas. As aves sãs devem ser afastadas do local contaminado por 40 dias ( quarentena o isolamento das aves doentes é importante, o tratamento é feito com antibióticos específicos e todas as instalações devem ser devidamente desinfetadas e desocupadas por no mínimo 30 dias. O frio e a umidade, vento, manejo incorreto, água contaminada com fezes e alimentos mofados são fontes de contaminação.

Coriza

É a mais conhecida e é comum designar todas as doenças caracterizadas por secreção nos olhos e dos orifícios nasais como coriza. É um germe hemofílico freqüente em lugares com umidade, correntes de ar e sem abrigos para as aves. Provoca um corrimento nos olhos ( lacrimejamento ) e nas narinas, essa secreção aumenta, se torna  viscosa e provoca o inchaço da cabeça, podendo atingir os olhos, chegando a cegar a ave, há diminuição da postura e emagrecimento. É necessário o tratamento com antibióticos, o isolamento das aves contaminadas e a desinfecção de todos os viveiros pois a doença é altamente contagiosa e pode provocar a morte das aves se não forem medicadas prontamente. Boa alimentação e higiene rigorosa são importantes.

Doença de Marek

É uma doença causada por vírus também conhecida como Paralisia das Aves, causa tumores nos nervos, nos rins, baço, fígado, intestinos, coração e músculos. Os sintomas variam de acordo com a localização dos tumores. Podem ocorrer diarréias, as aves ficam ofegantes, podem aparecer tumores sob a pele, afeta o sistema nervoso central das aves. O crescimento, a reprodução sofrem decréscimo devido à doença.
As aves doentes são agredidas pelas aves sadias  e mostram lesões de bicagem. Severa limpeza e desinfecção, isolamento das aves doentes são muito importantes. A vacinação deve ser realizada em pintos de 1 dia de idade e aplicada no dorso do pescoço.

Estafilococose

É uma infecção provocada por bactérias, as aves perdem o apetite, ficam prostradas, febris, com diarréia fétida e dificuldade de locomoção, apresentam artrite e edema na planta dos pés, podem apresentar diarréia e pus amarelado nas articulações. O tratamento é feito com antibióticos.

Laringotraqueite Infecciosa

É uma doença infecto-contagiosa provocada por vírus. Normalmente a doença aparece nas estações frias, provoca dispnéia, descoloração da crista, cabeça e barbelas, tosse, diminuição do apetite, queda de produção, lesões nos olhos e dificuldade respiratória. O uso de antibióticos é o tratamento indicado.

Leucose Linfóide

É uma doença provocada por vírus, causa a formação de tumores em vários órgãos, principalmente baço e fígado, provocando hipertrofia dos mesmos provoca deformações ósseas e inchações dos membros, daí o nome popular de “ perna grossa”. O tratamento é feito com  antibióticos.

Newcastle

É causada por um vírus e também é muito contagiosa. Os primeiros sintomas consistem em queda do consumo de alimentos, bronquite com tosse e espirros, as aves perdem o equilíbrio, andam em círculos, entortam o pescoço e tem diarréia esverdeada, desidratação e podem chegar á morte se não forem atendidas rapidamente pelo veterinário. As aves doentes devem ser isoladas, os viveiros desinfetados  rigorosamente assim como todos os bebedouros e comedouros. A vacinação é feita via nasal ou ocular, mas também pode ser feita via muscular, no peito ou na coxa.

Pulorose

Também chamada “Diarréia Branca” é uma infecção causada por Salmonela. Causa problemas na reprodução, fertilidade, atraso de crescimento e queda de produção. Há sonolência, apatia, diarréia amarelada, asas pendentes e as fezes se acumulam em torno do ânus, há dispnéia, palidez da crista. O tratamento é feito com antibióticos e sulfa desinfecção rigorosa e separação das aves sãs das contaminadas é importante.

Tifo Aviário

É provocada por Salmonela, provoca palidez da crista, apatia, penas arrepiadas, diarréia amarelo-esverdeada e artrites, febre, sede intensa. O tratamento é feito com algumas sulfas e antibióticos  específicos. A doença aparece normalmente por práticas anti-higiênicas e mau manejo.

Esquema de Vacinação
Doença
Idade     
  Via
Marek  Ao nascer   Subcultãnea no dorso do pescoço
Coriza Infecciosa 1ª dose de 35 á 40 dias  Subcultãnea no dorso do pescoço
  2ª dose de 80 á 90 dias  
Newcastle 1ª dose de 3 á 10 dias Ocular ou nasal
  2ª dose de 21 á 30 dias  
  3ª dose de 45 á 60 dias  
  Reforço anual  
Bouba Aviária 1ª dose de 1 á 5 dias  Punção na membrana da asa ou
  2ª dose de 80 á 90 dias    1 gota no poro da coxa
  3ª dose com 180 dias  
  Reforço anual  
Bronquite Infecciosa 1ª dose com 4 dias  Na água de beber
                          2ª dose com 4 semanas  
         3ª dose com 4 mêses   
  4ª dose após pico de reprodução  

Vacine somente aves em bom estado de saúde.
Não utilize água clorada para diluição de vacina,
use água mineral ou de poço previamente fervida.
Proteja seu plantel vacinando regularmente suas aves.

Belo Horizonte -MG
Glória Jane: (31) 9242-3922 (TIM) / (31) 9188-5372 (TIM) / (31) 9578-6855 (Vivo)
Luiz Fernando: (31) 9138-0638 (TIM) / (31) 9592-2809 (Vivo)